Início Destaques Hitachi tem seu programa de estagiários filipinos suspenso

Hitachi tem seu programa de estagiários filipinos suspenso

476
0
O programa de estagiários da Hitachi foi suspenso devido à irregularidades. Foto: So-net

A Hitachi Ltd. e 99 filipinos trainees que foram demitidos em 8 de novembro chegaram a um acordo de indenização devido ao programa de treinamento aparentemente abaixo do padrão recomendado.

Pelo acordo, a empresa pagará a cada filipino cerca de 100.000 ienes (878 dólares) por mês, enquanto permanecerem no Japão. Esse número representa 60% dos salário mensal firmado em contrato.

Seu status de residente também foi alterado, e eles logo terão que deixar o Japão.

Pagamentos adicionais da Hitachi também são possíveis, dependendo dos resultados de uma investigação do governo sobre o programa de treinamento da empresa.

Os 99 filipinos estavam entre os cerca de 270 trainees técnicos que trabalharam em uma fábrica da Hitachi em Kudamatsu, na província de Yamaguchi, sob o programa de treinamento técnico apoiado pelo governo.

O programa tem como objetivo fornecer habilidades que os estagiários podem usar posteriormente em seus próprios países.

No entanto, o Ministério da Justiça e a Organização para Treinamento de Estagiários Técnicos investigaram a fábrica de Kudamatsu devido a alegações de que os estagiários eram instruídos a realizar tarefas domésticas e outras atribuições que não faziam parte do programa de capacitação.

O órgão regulador para a aprovação de estagiários não aprovou o plano de segundo ano de estagiários da Hitachi, a fábrica ainda está sob investigação.

Sem aprovação do programa da Hitachi, o Departamento de Imigração não renovou o status de residente dos estagiários.

Como resultado, a Hitachi pediu ao Departamento de Imigração para mudar o status de estagiário técnico dos filipinos para vistos de curto prazo.

Em setembro e outubro, a empresa demitiu 40 estagiários, seguidos de 20 em 7 de novembro e 39 em 8 de novembro.

A Hitachi disse que quer recontratar os estagiários se o governo aprovar o plano do segundo ano.

“Continuaremos a fazer todos os esforços para permitir que os estagiários técnicos trabalhem no programa de treinamento técnico como antes”, disse um funcionário da Hitachi.

Se o governo não aprovar o programa de treinamento, a Hitachi pagará aos 99 filipinos 100% dos salários, ou cerca de 140 mil ienes por mês, que teriam recebido se continuassem trabalhando até o final de seus contratos de três anos, segundo o acordo.

Os filipinos juntaram-se à Scrum Union Hiroshima, um sindicato de Hiroshima que esteve em negociações coletivas com a Hitachi.

(Este artigo foi escrito por Hiroki Hashimoto e Hiroyuki Maegawa)

Fonte: Asahi Shimbum

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here