59 visualizações 2 min 0 Comentário

Nagasaki – Dejima: presença de portugueses entre 1570 e 1639

- 19 de fevereiro de 2024

Luzes do Passado: A Influência Portuguesa Brilha no Festival das Lanternas” Explore como a herança dos primeiros comerciantes europeus ilumina as celebrações atuais em Nagasaki

NAGASAKI, 18 de fevereiro – O Festival das Lanternas em Nagasaki foi marcado pela presença estelar de Masaharu Fukuyama, atraindo um público excepcionalmente grande para Dejima, a histórica ilha artificial de Nagasaki. Conhecida por seu papel crucial no comércio internacional, primeiro com Portugal entre 1570 e 1639 e, posteriormente, com a Holanda de 1641 a 1854, a ilha foi o cenário perfeito para o evento deste ano.

Fukuyama, juntamente com a atriz Lisa Nakamura, vestiu-se em trajes tradicionais, recriando cenas históricas e proporcionando aos fãs e visitantes uma experiência cultural única. “Estou muito feliz por estar de volta a Nagasaki. Espero que todos possamos aproveitar o Festival das Lanternas com segurança e alegria por uma hora e meia hoje,” compartilhou Fukuyama, expressando seu entusiasmo pelo festival.

A expectativa pelo desfile foi palpável, com participantes chegando cedo para garantir um bom lugar. “Estou aqui desde as 7h”, revelou um dos presentes, ansioso por testemunhar o evento e capturar momentos memoráveis. O desfile, que durou aproximadamente uma hora e meia, cobriu uma distância de cerca de 1,3 km da Dejima até a estação de Nagasaki, com cerca de 140 participantes vestidos em trajes chineses vibrantes, encenando a celebração de um imperador chinês.

A presença de Fukuyama foi um ponto alto, arrancando aplausos e sorrisos cada vez que acenava ou fazia contato visual com a multidão. Com uma área de visualização capaz de acomodar 26 mil pessoas, o evento foi altamente concorrido, demonstrando uma competição de 6,5 vezes para os lugares disponíveis, um testemunho da popularidade e da importância cultural do Festival das Lanternas em Nagasaki.

Comentários estão fechados.