66 visualizações 3 min 0 Comentário

Novas Regras do Ministério da Saúde Sobre o Consumo de Álcool

- 20 de fevereiro de 2024

O Que Você Precisa Saber: Limite Seguro de Consumo de Álcool Revelado Entenda os limites de consumo diário de álcool estabelecidos para homens e mulheres para prevenir riscos à saúde

O Ministério da Saúde anunciou na segunda-feira suas primeiras diretrizes detalhadas sobre o consumo de álcool, com o objetivo principal de minimizar os riscos à saúde associados ao consumo excessivo. Este movimento visa conscientizar sobre os perigos do álcool e promover um consumo responsável entre a população.

As diretrizes enfatizam as quantidades específicas de álcool que podem aumentar significativamente o risco de doenças crônicas e outros problemas de saúde. Para os homens, consumir mais de 40 gramas de álcool puro por dia é considerado de alto risco, enquanto para as mulheres, o limite é de 20 gramas. Para contextualizar, 20 gramas de álcool puro correspondem a uma garrafa de cerveja de 500ml ou um copo de saquê de 180ml.

Além disso, o consumo diário de 20 gramas de álcool puro é identificado como um fator de risco para o desenvolvimento de câncer colorretal, tanto em homens quanto em mulheres. O ministério alerta que até mesmo quantidades modestas de álcool podem aumentar o risco de várias condições de saúde, como hipertensão arterial em ambos os sexos, câncer de esôfago em homens e acidente vascular cerebral hemorrágico em mulheres.

Para promover práticas de consumo mais seguras, o ministério sugere medidas preventivas, como comer antes ou durante o consumo de álcool, intercalar o consumo de bebidas alcoólicas com água e evitar o consumo de álcool durante alguns dias da semana. A instituição também desaconselha práticas perigosas, como beber excessivamente em um curto período de tempo, pressionar outros a beber e usar o álcool como meio de lidar com a ansiedade ou a falta de sono.

Embora o consumo de álcool por adulto no Japão tenha diminuído desde o pico em 1992, o número de casos de alcoolismo reportados permaneceu praticamente inalterado entre 1996 e 2017, com cerca de 46.000 casos. Esta estatística sublinha a necessidade contínua de educação e políticas eficazes para abordar os problemas relacionados ao álcool na sociedade.

As novas diretrizes do ministério representam um passo importante na promoção da saúde pública e no combate aos riscos associados ao consumo de álcool. Ao seguir estas recomendações, espera-se que a população possa fazer escolhas mais informadas e saudáveis em relação ao consumo de álcool.

Comentários estão fechados.