143 visualizações 3 min 0 Comentário

Novos dramaturgos japoneses brilham nos palcos de Londres

- 26 de março de 2023

Crédito: Japan Times – 26/03/2023 – Domingo

Peças de três mulheres do Japão foram apresentadas em Londres em janeiro, em uma iniciativa para apresentar ao público estrangeiro alguns dos melhores dramaturgos promissores do país.

Embora o Japão seja mais conhecido pelos espectadores estrangeiros por seus dramas kabuki do que por suas peças contemporâneas, as companhias de teatro britânicas e japonesas por trás da iniciativa esperavam nutrir o talento de 14 jovens dramaturgos japoneses, com cada escritor tendo seu trabalho traduzido para o inglês para possível desempenho. no palco de Londres.

No primeiro fruto da colaboração entre o Royal Court Theatre e o New National Theatre, em Tóquio, as peças traduzidas por três desses escritores – Saori Chiba, Shoko Matsumura e Tomoko Kotaka – foram apresentadas em três noites consecutivas no final de janeiro.

Durante as apresentações, os atores liam suas falas após apenas alguns dias de ensaios no formato “script-in-hand”. Em uma noite, os três foram exibidos juntos e, em outra, foram exibidos dois.

A brevidade das execuções das peças, no entanto, contrastava fortemente com o tempo que levou para colocar a série “New Plays: Japan” em funcionamento.

A iniciativa foi lançada em 2017, e as peças de cada um dos 14 dramaturgos foram escritas entre 2019 e 2021. Mas a pandemia do COVID-19 trouxe atrasos para levá-los aos palcos também enfrentou o desafio de um intenso processo de tradução que viu os roteiros irem embora. através de vários rascunhos.

Embora se espere que cada peça toque o público estrangeiro, o assunto é diversificado.

“Onigorou Valley” de Chiba é um horror popular sobrenatural ambientado sete anos após o desastre de 11 de março em Fukushima e lida com as consequências duradouras de suas consequências na região de Tohoku. Foi traduzido por Susan Momoko Hingley, que também atuou na peça.

“28 horas e 1 minuto”, escrito por Matsumura (traduzido por Sayuri Suzuki) retrata uma mulher esperando seu primeiro filho e a estranha sequência de eventos que se desenrolam na noite em que seu vizinho a visita com um presente de tangerinas.

“Not Yet Midnight” de Kotaka (também traduzido por Suzuki) mostra como uma queda de energia noturna abre momentos de pausa em uma cidade movimentada para grupos díspares de pessoas – de um casal prestes a se separar a três funcionários que estão de mãos dadas a empresa até.

Foto: Japan Times (Os atores Kanako Nakano (esquerda), Natsumi Kuroda (centro) e Mark Takeshi Ota (direita) ensaiam ’28 horas e 1 minuto’ de Shoko Matsumura. | CORTESIA DE THEODORA NDLOVU / KYODO)

Comentários estão fechados.