119 visualizações 2 min 0 Comentário

O crescimento da má distribuição de renda no Japão acentua

- 26 de novembro de 2023

A quantidade de renda não declarada por pessoas ricas no Japão atingiu um novo recorde no ano até junho deste ano, ¥ 98 bilhões (US$ 657 milhões), informou a Agência Nacional de Impostos na quarta-feira.

O valor para indivíduos ricos, como grandes detentores de imóveis, aumentou 16,8% em relação ao ano anterior e representou cerca de 10% do total em ¥ 904,1 bilhões, um aumento de 25,5% em relação ao ano anterior.

Um funcionário da agência disse que o aumento geral foi liderado pela renda não declarada de indivíduos ricos, impulsionada principalmente pelos lucros dos seus investimentos no exterior em meio a um iene fraco.

A agência analisou cerca de 637.800 casos, um número superior aos investigados no ano até junho de 2019, antes da propagação global das infecções por coronavírus.

O valor total de impostos atrasados ​​e multas também foi o mais alto de todos os tempos, 136,8 bilhões de ienes.

Entre os ricos que ocultam rendimentos, os investidores globais não declararam ¥ 51,4 milhões, um aumento de 37,4%, representando mais de 50% do montante total não declarado.

Por ocupação, os consultores de gestão empresarial esconderam 33,67 milhões de ienes por pessoa, liderando a lista de corretivos de renda pelo segundo ano consecutivo, seguidos pelos atacadistas de sucata, com 24,83 milhões de ienes, em meio a picos de preços de materiais.

Os criadores de animais ficaram em terceiro lugar, com ¥ 20,75 milhões, e os proprietários de churrascarias yakiniku ficaram em quarto lugar, com ¥ 16,11 milhões.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.