103 visualizações 6 min 0 Comentário

Presidente da gigante publicitária Dentsu admite ter fraudado licitações nos Jogos de Tóquio

- 28 de fevereiro de 2023

Em um crescente escândalo de corrupção envolvendo as Olimpíadas de Tóquio, o presidente da maior agência de publicidade do Japão, Dentsu Group, admitiu aos promotores que a empresa esteve envolvida em licitações fraudulentas para os Jogos, disseram fontes próximas ao assunto na segunda-feira.

O presidente e CEO do Dentsu Group, Hiroshi Igarashi, admitiu aos promotores em interrogatório voluntário na sexta-feira que sua empresa era responsável por fraudar licitações sobre contratos para planejar e realizar eventos-teste antes dos Jogos e operar competições durante os Jogos de 2021, disseram as fontes.

Os promotores de Tóquio estão considerando indiciar a Dentsu e outras cinco empresas sob a acusação de violar a lei antimonopólio já na terça-feira, depois de receber reclamações da Comissão de Comércio Justo do Japão.

O interrogatório ocorreu depois que o Ministério Público prendeu Koji Henmi, 55, ex-chefe adjunto do departamento de esportes da Dentsu, uma unidade do Grupo Dentsu, em 8 de fevereiro por seu suposto envolvimento na manipulação de licitações.

Henmi é suspeito de ter conspirado com Yasuo Mori, 56, ex-alto funcionário do comitê organizador dos Jogos de Tóquio, e outros para predeterminar os vencedores das licitações para os contratos entre fevereiro e julho de 2018.

Várias pessoas relacionadas à Dentsu, incluindo Henmi, admitiram as alegações de manipulação de licitações, disseram as fontes.

As cinco empresas são a agência de publicidade número 2 do Japão, Hakuhodo, a empresa de publicidade Tokyu Agency e as produtoras de eventos Cerespo, Fuji Creative e Same Two.

Os promotores alegam que os funcionários das cinco empresas colaboraram com Henmi e Mori para fraudar licitações. A Cerespo, no entanto, negou envolvimento, disseram as fontes.

Suspeita-se que a manipulação ocorreu em conexão com 26 licitações abertas realizadas em 2018 pelos direitos de planejar eventos de teste. Estes foram concedidos a nove empresas, incluindo Dentsu e Hakuhodo, bem como a um consórcio por um total de ¥ 538 milhões (US$ 3,95 milhões).

Os promotores também suspeitam que as empresas chegaram a acordos para garantir contratos para realizar os eventos e competições pré-Jogos nas Olimpíadas e Paraolimpíadas de Tóquio, com o valor contratado totalizando cerca de ¥ 40 bilhões, disseram fontes investigativas.

Os funcionários Yoshiji Kamata da Cerespo e Masahiko Fujino da Fuji Creative também foram presos, enquanto os funcionários da Tokyu Agency e da Same Two estão sendo investigados.

Os eventos-teste – realizados para dar aos organizadores e federações esportivas a chance de testar operações, segurança e controle de multidões – foram realizados entre 2018 e 2021 antes dos Jogos de Verão começarem após um adiamento de um ano devido à pandemia do COVID-19.

O caso de manipulação de licitações é o mais recente escândalo de corrupção a surgir em relação ao evento esportivo global após revelações de suborno.

Haruyuki Takahashi, ex-executivo do comitê organizador e ex-diretor administrativo sênior da Dentsu, foi indiciado quatro vezes sob a acusação de receber subornos totalizando cerca de ¥ 198 milhões em troca de ajudar empresas a serem selecionadas como patrocinadoras ou agentes de marketing dos Jogos.

A Dentsu, que havia celebrado um contrato de agência exclusiva com o comitê organizador, era a única responsável pelo recrutamento de patrocinadores corporativos para as Olimpíadas e Paraolimpíadas, e havia um sistema que permitia à empresa terceirizar parte do trabalho para outras agências de publicidade.

Um total de 15 pessoas foram indiciadas em conexão com cinco canais diferentes de suborno no escândalo que manchou a imagem das Olimpíadas e Paraolimpíadas.

O ex-presidente da importante varejista de ternos Aoki Holdings, Hironori Aoki, 84, e dois outros altos funcionários admitiram as acusações de suborno no tribunal em dezembro. Uma decisão do Tribunal Distrital de Tóquio será proferida em 21 de abril.


Estamos há mais de 20 anos no mercado contratando homens e mulheres até a 3º geração (sansei) com até 65 anos, casais com ou sem filhos para trabalhar e viver no Japão, temos mais de 400 vagas e parceria com +50 empreiteiras em diversas localidades. Auxiliamos na emissão do Visto Japonês, Documentos da Empreiteira, Certificado de Elegibilidade, Passagem e mais. Contate-nos via WhatsApp para mais informações sobre empregos no Japão: (11) 95065-2516 📲🇯🇵✨ ©𝐍𝐨𝐳𝐨𝐦𝐢 𝐓𝐫𝐚𝐯𝐞𝐥.
Comentários estão fechados.