102 visualizações 4 min 0 Comentário

Rússia e Coreia do Norte, Uma Aliança Estratégica Contra as Sanções da ONU

- 1 de abril de 2024

A Decisão da Rússia: Um Novo Capítulo nas Relações com Pyongyang. Entenda o Impacto Global do Fim da Vigilância da ONU.

A recente decisão da Rússia de bloquear a renovação do mandato do painel de monitoramento da ONU, encarregado de observar a adesão da Coreia do Norte às sanções impostas devido a seus programas de armas nucleares e mísseis balísticos, representa uma mudança significativa na dinâmica geopolítica da região. Este movimento, efetivamente encerrando a vigilância formal das atividades de Pyongyang relacionadas a armas, é visto como um grande triunfo para o regime de Kim Jong Un.

Entendendo o Contexto

Desde 2009, após a Coreia do Norte realizar seu segundo teste nuclear, a ONU impôs sanções rigorosas a Pyongyang. Para garantir o cumprimento dessas sanções, foi estabelecido um painel de especialistas, com o apoio de países como Rússia e China, para monitorar e relatar quaisquer violações. No entanto, a Rússia, alegando falhas no trabalho do painel e acusando-o de seguir uma agenda ocidental, bloqueou a renovação de seu mandato em abril deste ano. Este veto ocorre em um momento em que o painel investigava alegações de transferências de armas entre a Rússia e a Coreia do Norte, com relatos indicando que Pyongyang estava enviando armas para Moscou para uso na Ucrânia.

Por que a Rússia Vetou?

A Rússia justifica seu veto com críticas ao desempenho do painel, acusando-o de reproduzir informações tendenciosas e de não cumprir sua função adequadamente. Este veto também reflete a aproximação entre Moscou e Pyongyang, especialmente à luz das sanções ocidentais impostas à Rússia devido à sua invasão da Ucrânia. A China, por sua vez, se absteve de votar, sugerindo que a solução para a tensão na Península Coreana deve ser política, destacando a ineficácia das sanções.

Implicações do Veto Russo

Especialistas argumentam que as sanções contra a Coreia do Norte estão se tornando cada vez mais ineficazes, em grande parte devido ao apoio da Rússia e da China a Pyongyang. A falta de monitoramento da ONU pode levar a um aumento da cooperação militar entre a Rússia e a Coreia do Norte, como evidenciado pelo envio de armas norte-coreanas para a Rússia. Além disso, a ausência do painel pode resultar na divulgação de mais provas de violações de sanções ao público, uma vez que a influência restritiva de Rússia e China sobre os relatórios desapareceu.

Futuro das Relações Rússia-Coreia do Norte

A relação entre a Rússia e a Coreia do Norte parece estar se fortalecendo, marcada por encontros de alto nível e uma cooperação militar crescente. Esta dinâmica sugere que Pyongyang busca aliviar as sanções sem reduzir seus programas de armas estratégicas, encontrando no Kremlin um parceiro disposto a desafiar o regime de sanções liderado pela ONU.

Esta mudança na postura da Rússia e o consequente impacto nas políticas internacionais em relação à Coreia do Norte ressaltam a complexidade das relações globais e a dificuldade de manter um regime de sanções eficaz contra nações desafiantes.

Portal Mundo-Nipo
Sucursal Japão – Tóquio
contato@mundo-nipo.com.br

Comentários estão fechados.