1.273 visualizações 4 min 0 Comentário

Tokyo 2020: Movimento quer proibir o uso da bandeira do sol nascente

- 13 de janeiro de 2020

Ver pessoas hasteando a bandeira do sol nascente no Japão é uma cena bem comum em qualquer evento esportivo internacional. Mas porque haveria um movimento que desencadearia uma petição para impedir que ela seja usada? 

É isso que está acontecendo com a bandeira do sol nascente do Japão, bem às vésperas dos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020.  

A crítica vem da Coreia do Sul, em onde alguns políticos vieram a comparar a bandeira, com a suástica nazista. 

Eles alegam que a bandeira é levada aos estádios, por torcedores que querem romantizar e até mesmo apagar as violações dos direitos humanos cometidos pelas tropas militares japonesas no passado.  

Entretanto, os organizadores argumentam que o uso da bandeira é “amplamente usado no Japão” e “não tem a intenção de ser uma manifestação política”. 

O que é a bandeira do sol nascente. 

A bandeira do sol nascente é um círculo vermelho, em fundo branco, com 16 raios saindo dele. A bandeira foi muito usada durante a expansão imperialista do Japão, como símbolo militar do país.  

Durante a Segunda Guerra Mundial, ela tornou-se a bandeira da marinha, época em que o Japão foi acusado de realizar diversas atrocidades contra as populações coreanas e chinesas.  

Hoje, a bandeira continua sendo símbolo da marinha no país. 

Descontentamento 

Os comparativos à suástica possuem argumentos contra e a favor.  

A bandeira do sol nascente é usada como um símbolo nacional tradicionalmente no Japão há séculos e aparece em propagandas e produtos comerciais.  

Na Alemanha, a suástica só foi usada quando os nazistas estavam no poder e atualmente é proibida no país. 

No entanto, mesmo que a bandeira do sol nascente tenha uma história mais antiga e igualmente cruel, “ninguém no Japão usa a bandeira para qualquer outro propósito que não seja romantizar e reescrever os horríveis abusos dos direitos humanos na época”, argumenta Koichi Nakano, um professor de ciência política na Sophia University, em Tokyo. 

Ele indica que uma comparação melhor a bandeira da suástica, seria a bandeira dos Estados Confederados no EUA, onde a mesma foi usada na guerra civil, onde os norte-americanos queriam manter a escravidão. 

A bandeira atualmente não é proibida. Muito pelo contrário, ela continua sendo hasteada no país, embora os críticos afirmem que ela seja um símbolo de segregação racial. 

Então o Japão deve abolir? 

Apesar da grande pressão da Coreia do Sul, o Japão não pretende abolir a bandeira até o presente momento. 

Hoje existem explicações do Ministério das Relações Exteriores japonês, que cita a história do sol nascente, sem fazer referência com a Segunda Guerra.  

“O design da bandeira do sol nascente é amplamente utilizado em todo o Japão, como nas bandeiras usadas pelos pescadores, em bandeiras comemorativas de nascimentos e em festividades sazonais, além das bandeiras dos navios da Força Marítima de Autodefesa do Japão.” 

“A alegação de que a bandeira é uma expressão de manifestação política ou um símbolo do militarismo são absolutamente falsas.” 

Leia também: A sinalização será cor-de-rosa durante as Olimpíadas de 2020

Mundo-nipo: O principal portal de notícias do Japão