82 visualizações 5 min 0 Comentário

3 cidades do Japão cobraram US$ 8,2 milhões a mais por call centers de vacinas COVID

- 15 de fevereiro de 2023

Funcionários da cidade de Suita, na província de Osaka, são vistos em 10 de fevereiro de 2023, falando sobre os relatórios preenchidos por uma empresa subcontratada para operar seus call centers de vacinação COVID-19. (Mainichi/Mari Misumi)

Uma importante agência de recrutamento japonesa sobrecarregou três cidades no oeste do Japão para operações de call center de vacinação COVID-19 em um total de cerca de 1,08 bilhão de ienes (cerca de 8,2 milhões) depois que uma empresa subcontratada falsificou números de funcionários.

A Pasona Inc., com sede em Tóquio, encarregada dos serviços de call center pela cidade de Nishinomiya na província de Hyogo e pelas cidades de Hirakata e Suita, na província de Osaka, anunciou o acidente em 10 de fevereiro. encobriu o fato de que eles estavam com poucos funcionários.

Depois que reclamações foram recebidas de moradores das cidades, inclusive de que era difícil chegar aos call centers, Pasona apresentou um pedido de desculpas, afirmando: “Devido à gestão negligente, causamos transtornos significativos às pessoas (das cidades)”. Segundo Pasona, verificava regularmente com as cidades o número necessário de funcionários e subcontratava o trabalho à Eter. Pasona pretende reembolsar as três cidades e processar Eter por danos.

A empresa de recrutamento tomou conhecimento do problema em 1º de novembro de 2022, quando o governo municipal de Hirakata apontou que o número de telefonemas completos relatados pelo subcontratado naquele dia era de cerca de 3.500, embora o número de agendamentos de vacinação feitos fosse de apenas cerca de 750. Pasona investigou o call center da Eter para descobrir que apenas 33 pessoas estavam trabalhando naquele dia, quando 100 funcionários deveriam estar disponíveis.

Por fim, descobriu-se que, embora um total de 27.000 vagas devesse ser preenchida nos call centers em Hirakata entre 1º de março de 2021 e 4 de dezembro de 2022 sob o contrato, apenas 75% do número prometido de funcionários, ou cerca de 20.500 foram postados. Da mesma forma, em média, 58% do número obrigatório de operadores foram destacados para trabalhar para Nishinomiya. Para Suite, foi de 73%. Segundo o governo de Nishinomiya, junho de 2021 teve a maior escassez de pessoal, com média de apenas 37,5%.

Além disso, Pasona disse que a Eter não apenas falsificou os números de sua equipe, mas também aumentou o número de casos que tratou junto com suas taxas de resposta. Diz-se que Eter explicou: “Havia uma alta taxa de rotatividade e tivemos problemas para garantir o número necessário de trabalhadores”.

A Pasona declarou sua intenção de devolver os valores cobrados a mais por pessoal e outras despesas, totalizando cerca de 270 milhões de ienes (cerca de US$ 2,04 milhões) para Suita, cerca de 450 milhões de ienes (US$ 3,4 milhões) para Nishinomiya e cerca de 360 ​​milhões de ienes (US$ 2,72 milhões) para Hirakata. .

Respondendo a uma consulta da Mainichi Shimbun, Pasona disse: “Recebemos relatórios diários (do subcontratado), mas não confirmamos nada no local”, acrescentando que a empresa melhorará seu sistema de gerenciamento. Eter se recusou a comentar, afirmando que o assunto está sendo investigado por advogados.


Estamos há mais de 20 anos no mercado contratando homens e mulheres até a 3º geração (sansei) com até 65 anos, casais com ou sem filhos para trabalhar e viver no Japão, temos mais de 400 vagas e parceria com +50 empreiteiras em diversas localidades. Auxiliamos na emissão do Visto Japonês, Documentos da Empreiteira, Certificado de Elegibilidade, Passagem e mais. Contate-nos via WhatsApp para mais informações sobre empregos no Japão: (11) 95065-2516 📲🇯🇵✨ ©𝐍𝐨𝐳𝐨𝐦𝐢 𝐓𝐫𝐚𝐯𝐞𝐥.
Comentários estão fechados.