120 visualizações 4 min 0 Comentário

ANA e JAL apresentam resultados satisfatórios após pandemia

- 1 de novembro de 2023

As duas maiores companhias aéreas do Japão registraram na terça-feira uma recuperação significativa nos lucros no período de abril a setembro, à medida que a demanda por viagens continuava a aumentar em meio à remoção das restrições da COVID-19 no país.

A ANA viu o lucro líquido do grupo mais que quadruplicar em relação ao ano anterior, para ¥ 93,21 bilhões (US$ 620 milhões) nos seis meses, enquanto a Japan Airlines registrou um lucro líquido consolidado de ¥ 61,67 bilhões, um recorde para o primeiro semestre desde que a empresa voltou a ser listada na Bolsa de Valores de Tóquio em 2012.

Ajudada por um aumento no número de viajantes nacionais e internacionais, a ANA disse que o seu lucro operacional também mais do que quadruplicou em relação ao ano anterior, para 129,74 milhões de ienes, um recorde para o período de seis meses. As vendas cresceram 26,8%, para ¥ 1 trilhão.

“O aumento da receita nas operações de voos internacionais e o controle de custos contribuíram para um lucro recorde”, disse o presidente da ANA, Koji Shibata, em entrevista coletiva.

Em maio, o Japão rebaixou o status legal da COVID-19 para a mesma categoria da gripe sazonal, levando muitas pessoas a viajar tanto internamente quanto para o exterior. Os turistas que chegam também estão a aumentar depois de o país ter facilitado enormemente os seus controles fronteiriços no outono passado.

O número de passageiros de voos domésticos recuperou para cerca de 90% do nível pré-pandemia de 2019, e o de passageiros de voos internacionais atingiu cerca de 70%, disse a ANA.

Embora mantendo inalterada sua previsão de lucros para o ano inteiro devido às perspectivas de forte demanda por viagens, a ANA anunciou que reduzirá um total de cerca de 30 voos domésticos e internacionais por dia, de 10 de janeiro a 30 de março, para inspeções de motores, após a fabricante de motores norte-americana Pratt & Whitney ter relatado possíveis falhas no processo de fabricação.

As reduções de voos, que afetarão os serviços que conectam Tóquio e Seul, entre outros, reduzirão as vendas anuais em 8 bilhões de ienes, disse a empresa.

A ANA disse que projeta um lucro líquido de ¥ 80 bilhões em vendas de ¥ 1,97 trilhão para o ano fiscal de 2023.

A JAL, por sua vez, voltou ao azul pela primeira vez em quatro anos, no período de abril a setembro, depois de registrar um prejuízo líquido do grupo de ¥ 2,16 bilhões um ano antes. As vendas aumentaram 32,7%, para ¥ 820,94 bilhões.

Refletindo a forte demanda, a JAL elevou sua previsão de lucro líquido para o atual ano fiscal até março para ¥ 80 bilhões, ante uma estimativa anterior de ¥ 55 bilhões. As vendas estão agora projetadas em ¥ 1,68 trilhão, acima dos ¥ 1,66 trilhão projetados anteriormente.

“Embora existam preocupações sobre os mercados petrolífero e cambial, esperamos maximizar os lucros reduzindo os custos e aproveitando a procura robusta”, disse Yuji Saito, diretor financeiro da JAL, aos jornalistas.

A companhia aérea espera que os preços do petróleo subam no final do ano fiscal, no meio das guerras em curso no Médio Oriente e na Ucrânia, enquanto o iene fraco tem prejudicado a procura de viagens ao exterior do Japão, de acordo com a empresa.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.