130 visualizações 3 min 0 Comentário

Atacante do trem ‘Coringa’ de Tóquio é condenado a 23 anos de prisão

- 31 de julho de 2023

Crédito: Japan Times – 31/07/2023 – Segunda

O homem de 26 anos responsável pelo ataque ao trem “Coringa” no Halloween de 2021 foi condenado a 23 anos de prisão na segunda-feira por tentativa de homicídio depois de esfaquear um homem e cometer um incêndio criminoso na linha Keio da capital.

O juiz presidente Yu Takeshita, da filial de Tachikawa do Tribunal Distrital de Tóquio, decidiu que Kyota Hattori havia esfaqueado o homem de 72 anos e pretendia matar 12 passageiros espalhando óleo em um vagão de trem e incendiando-o.

De acordo com a decisão, Hattori esfaqueou o homem no peito com uma faca de sobrevivência de 30 centímetros por volta das 20h do dia 31 de outubro de 2021, enquanto estava a bordo de um trem que se dirigia à estação de Shinjuku. Ele então mudou-se para um vagão diferente, onde espalhou o óleo e o acendeu, incendiando o piso do trem e os assentos.

O foco principal do julgamento foi se Hattori pretendia matar os 12 passageiros do vagão do trem ao iniciar o incêndio.

Hattori se declarou culpado de esfaquear o homem e cometer incêndio criminoso, mas a defesa alegou que ele não tinha uma forte intenção de matar quando acendeu o fogo, uma vez que os passageiros já haviam fugido do vagão a essa altura. Eles pediram uma pena de prisão de 12 anos.

Os promotores pediram 25 anos, afirmando que mesmo que não estivesse claro quem iria se machucar, sua intenção assassina era clara, já que a possibilidade de propagação do fogo deveria ser óbvia.

Hattori explicou durante o julgamento que depois que sua noiva terminou com ele, ele cometeu um erro no trabalho que o transferiu para outro cargo, e essa cadeia de eventos o levou a pensar em suicídio.

Ele já havia tentado o suicídio em duas ocasiões, e o fracasso o fez desejar a pena de morte.

Durante o julgamento, Hattori também admitiu que vestiu um terno e casaco que lembram o Coringa, vilão da franquia “Batman”, ao realizar o ataque para se “comprometer” totalmente com o papel. Ele afirmou que sentiu a necessidade de abraçar a atitude do Coringa de que a vida de outras pessoas tem pouco valor para realizar o ataque.

Foto: Japan Times (Uma ilustração do tribunal mostra Kyota Hattori na filial de Tachikawa do Tribunal Distrital de Tóquio na segunda-feira. | KYODO)

Comentários estão fechados.