101 visualizações 4 min 0 Comentário

Bombardeiros B-1B sobrevoaram sobre o sul da Coreia do Sul

- 21 de dezembro de 2023

Os Estados Unidos lançaram bombardeiros de longo alcance para exercícios conjuntos com a Coreia do Sul e o Japão na quarta-feira, numa demonstração de força contra a Coreia do Norte, dias depois de o Norte ter realizado o seu primeiro teste de míssil balístico intercontinental em cinco meses.

O treinamento trilateral na ilha de Jeju, no sul da Coreia do Sul, pretendia fortalecer a resposta conjunta dos países contra as ameaças nucleares norte-coreanas, disse o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul em um comunicado.

O exercício envolveu bombardeiros B-1B e caças sul-coreanos e japoneses. É a 13ª vez que bombardeiros B-1B dos EUA foi temporariamente implantado perto e sobre a Península Coreana este ano.

O B-1B é capaz de transportar uma grande carga útil de armas convencionais. A Coreia do Norte já havia considerado a implantação do bombardeiro uma prova da hostilidade dos EUA e reagiu com testes de mísseis.

A Coreia do Norte lançou na segunda-feira um ICBM Hwasong-18 ao mar, num exercício que, pretendia servir de alerta sobre as medidas de confronto entre os EUA e a Coreia do Sul. A Coreia do Norte citou uma recente reunião entre EUA e Coreia do Sul para discutir os seus planos de dissuasão nuclear.

Os EUA, a Coreia do Sul e o Japão consideraram o lançamento uma provocação, observando que violava múltiplas resoluções do Conselho de Segurança da ONU que proíbem quaisquer atividades balísticas por parte do Norte.

O Hwasong-18, um míssil de combustível sólido, é o mais novo e avançado ICBM do Norte. Seu propulsor sólido integrado torna os lançamentos mais difíceis de detectar do que os mísseis de combustível líquido, que devem ser abastecidos para decolagens. O lançamento de segunda-feira é o terceiro disparo do Hwasong-18 este ano.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, disse que o lançamento mostrou como a Coreia do Norte poderia responder se os Estados Unidos tomassem “uma decisão errada contra ela”. Mas muitos especialistas estrangeiros dizem que o Norte ainda tem obstáculos tecnológicos a superar para possuir um ICBM funcional com armas nucleares que possa atingir o território continental dos EUA.

Desde o ano passado, a Coreia do Norte realizou cerca de 100 testes de mísseis balísticos, no que especialistas externos chamam de uma tentativa de modernizar o seu arsenal nuclear e obter maiores concessões dos EUA. Em resposta, os EUA e a Coreia do Sul expandiram os seus exercícios militares, reforçaram a cooperação em segurança com o Japão e aumentaram o destacamento temporário de poderosos recursos militares dos EUA, como bombardeiros e submarinos com propulsão nuclear, na Coreia do Sul.

Apesar da sua tórrida série de testes de mísseis balísticos, a Coreia do Norte evitou novas sanções internacionais, uma vez que a China e a Rússia, ambos membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, impediram qualquer resposta do conselho às atividades de testes do Norte. Numa reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU na terça-feira sobre o lançamento do ICBM pelo Norte, diplomatas norte-coreanos e russos entraram em confronto com diplomatas norte-americanos, sul-coreanos e outros.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.