Alguns funcionários do governo acreditam que talvez não consigam suspender o estado de emergência COVID-19 em vigor em partes do país no final deste mês, conforme planejado.

Ainda não há sinais de casos de infecção atingindo um pico em meio à rápida disseminação da variante Delta altamente contagiosa do coronavírus.

Oficiais do governo da província estão pedindo medidas mais fortes para conter a disseminação do coronavírus, incluindo pedidos de fechamento de instalações comerciais em grande escala.

Em uma entrevista coletiva na terça-feira, o ministro da revitalização econômica Yasutoshi Nishimura, que é responsável pela resposta do governo ao COVID-19, disse que as infecções “continuam a crescer em um ritmo sem precedentes”.

Referindo-se ao aumento de pacientes com COVID-19 gravemente enfermos, Nishimura disse: “Podemos acabar falhando em salvar vidas que normalmente poderiam ser salvas”.

Dados do Secretariado do Gabinete mostraram que o número de pacientes gravemente enfermos em todo o país na segunda-feira triplicou de meados de julho para 1.230.

Especialistas divulgaram recentemente uma estimativa de que novos casos diários em Tóquio podem chegar a 10.000 em meados de agosto. Um funcionário do governo disse que “pode ser impossível suspender o estado de emergência”.

No momento, o estado de emergência está em vigor em Tóquio e nas prefeituras vizinhas de Saitama, Chiba e Kanagawa, bem como nas prefeituras de Osaka e Okinawa.

O primeiro-ministro Yoshihide Suga disse que os casos de infecção cairão quando 40% da população receber pelo menos uma injeção da vacina contra o coronavírus.

No entanto, os casos continuam crescendo mesmo depois que a taxa de vacinação atingiu o limite. Funcionários do governo central acreditam cada vez mais que será difícil, por enquanto, obter imunidade coletiva.

Alguns funcionários do governo central pediram para rebaixar a definição de COVID-19 para uma doença semelhante à gripe sazonal sob a lei de doenças infecciosas.

Rejeitando essas visões otimistas, um especialista disse que o Japão “deveria primeiro se concentrar em abordar a quinta onda de infecções em curso”.

Os governadores que representam as prefeituras sob o estado de emergência descobriram que as restrições existentes com foco em restaurantes e bares tiveram apenas efeitos limitados na contenção da pandemia.

O governador de Kanagawa, Yuji Kuroiwa, propôs limitar o número de passageiros viajando em aviões e trens. O governador Chiba, Toshihito Kumagai, disse que instalações comerciais de grande escala na região metropolitana de Tóquio deveriam ser fechadas.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão Tóquio

Jonathan Miyata

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here