123 visualizações 3 min 0 Comentário

EUA comprará frutos do mar japonês para os militares consumirem

- 31 de outubro de 2023

Os Estados Unidos começaram pela primeira vez a comprar frutos do mar do Japão para abastecer seus militares no país, uma resposta à proibição chinesa de tais produtos, imposta depois que Tóquio liberou no mar água tratada de sua usina nuclear número 1 de Fukushima.

Ao revelar a iniciativa numa entrevista na segunda-feira, o embaixador dos EUA no Japão, Rahm Emanuel, disse que Washington também deveria analisar de forma mais ampla como poderia ajudar a compensar a proibição da China, que ele disse ser parte das suas “guerras econômicas”.

A China, que tem sido o maior comprador de frutos do mar japoneses, diz que a sua proibição se deve a temores de segurança alimentar.

O órgão de vigilância nuclear da ONU atestou a segurança da liberação de água que começou em agosto da usina destruída por um tsunami em 2011. Os ministros do Comércio do Grupo dos Sete pediram no domingo a revogação imediata das proibições à comida japonesa.

“Será um contrato de longo prazo entre as forças armadas dos EUA e as pescas e cooperativas aqui no Japão”, disse Emanuel.

A primeira compra envolve apenas uma tonelada de vieiras, uma pequena fração das mais de 100 mil toneladas de vieiras que o Japão exportou para a China continental no ano passado.

Emanuel disse que as compras – que alimentarão os soldados em refeitórios e a bordo de navios, bem como serão vendidas em lojas e restaurantes em bases militares – aumentarão ao longo do tempo para todos os tipos de frutos do mar. Os militares dos EUA nunca haviam comprado frutos do mar locais no Japão, disse ele.

Os EUA também poderiam analisar as suas importações globais de peixe do Japão e da China, disse ele. Os EUA também estão em conversações com as autoridades japonesas para ajudar a encaminhar as vieiras capturadas localmente para processadores nos EUA.

Emanuel, que foi chefe de gabinete do ex-presidente dos EUA, Barack Obama, na Casa Branca, fez nos últimos meses uma série de declarações contundentes sobre a China, visando várias questões, incluindo as suas políticas económicas, a opaca tomada de decisões e o tratamento dispensado a empresas estrangeiras.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.