241 visualizações 6 min 0 Comentário

Ex-ídolos de Johnny’s enviam petição e pedem mudanças na lei de prevenção de abuso infantil

- 7 de junho de 2023

Crédito: Japan Times – 07/06/2023 – Quarta

À luz das alegações de abuso sexual contra o falecido fundador da Johnny & Associates, Johnny Kitagawa, os ex-ídolos estão pedindo mais ação, apresentando uma petição com quase 40.000 assinaturas aos partidos governantes e de oposição nesta semana exigindo uma revisão da lei de prevenção do abuso infantil.

A petição online foi criada em 26 de maio por três ex-ídolos que apresentaram acusações, incluindo Yasushi Hashida, 37, Kauan Okamoto, 27, e Akimasa Nihongi, 39. Até quarta-feira, a petição reuniu mais de 40.000 assinaturas.

As revisões da lei podem ajudar a prevenir futuros casos de abuso sexual, disseram os ex-ídolos de Johnny’s a legisladores do Partido Liberal Democrático e de outros partidos.

“Se a lei for revisada, ela pode criar um ambiente que proteja não apenas aqueles da Johnny & Associates e da indústria do entretenimento, mas também a geração futura”, disse Hashida.

O governo planeja realizar uma reunião ministerial para discutir o assunto já na próxima semana com o ministro da política infantil Masanobu Ogura liderando a discussão, informou a Kyodo.

A petição pede aos legisladores que revisem a lei para cobrir casos em que indivíduos – como professores e mentores – usam sua posição de autoridade para tirar vantagem e abusar sexualmente de crianças. A lei atual cobre apenas casos de abuso infantil envolvendo pais e responsáveis. Eles também pediram aos legisladores que tornem obrigatório que pessoas próximas a crianças denunciem casos suspeitos de abuso infantil às autoridades.

Hashida anunciou pela primeira vez seu plano de coletar assinaturas em uma entrevista coletiva em 26 de maio, afirmando que a atual legislação antiabuso não faz o suficiente para proteger as crianças, pois cobre apenas o abuso sexual infligido a uma criança menor de 18 anos por um tutor.

Após a apresentação da petição na segunda-feira, Sho Sakurai, membro do grupo ídolo pop Arashi, também quebrou seu silêncio sobre as acusações de abuso sexual dirigidas ao falecido fundador, instando a agência de talentos a investigar o assunto minuciosamente.

“Quero que a agência investigue exatamente o que aconteceu sem forçar as pessoas a falar e garantir a privacidade (de quem o fizer)”, disse Sakurai, âncora do programa “News Zero” da Nippon TV, durante uma transmissão. . Ele também aconselhou o público a estar atento aos sobreviventes que não desejam falar sobre isso.

No início de maio, a Penlight, uma organização formada por fãs dos ídolos de Johnny, reuniu cerca de 16.000 assinaturas e apresentou uma petição à agência de talentos, pedindo uma investigação sobre as alegações.

A atual presidente da agência, Julie Keiko Fujishima, que também é sobrinha de Kitagawa, fez um pedido público de desculpas no mesmo mês às vítimas, fãs e parceiros de negócios, evitando confirmar a validade das reivindicações feitas pelas vítimas. Ela também disse que não sabia do abuso, o que atraiu críticas públicas.

“Acho que este é um caso muito sério, e se algo assim está acontecendo, acho que deve ser devidamente examinado”, disse um representante da Penlight, que atende pelo nome de Asumi Takada, ao falar à mídia, acrescentando que um A investigação deve examinar por que o abuso aconteceu e por que foi ignorado.

O grupo parou de coletar assinaturas em sua segunda petição no domingo e planeja enviá-la pelo correio assim que o número de assinaturas for finalizado.

No mês passado, o ator de Johnny Noriyuki Higashiyama, 56, e Masahiko Kondo, 58, um cantor veterano anteriormente empregado pela Johnny & Associates, também comentaram as acusações, instando a empresa a assumir a responsabilidade pelas ações do falecido fundador .

As acusações de abuso sexual contra o falecido magnata da boyband Kitagawa, que morreu aos 87 anos, atraíram a atenção nacional e internacional depois que a BBC exibiu um documentário com relatos de sobreviventes em março.

Foto: Japan Times (Kauan Okamoto (esquerda) Yasushi Hashida (centro) e Akimasa Nihongi, ex-membros da agência de talentos Johnny & Associates, falam com repórteres em Tóquio na segunda-feira. | KYODO)

Comentários estão fechados.