106 visualizações 3 min 0 Comentário

Explorando o Fuji, impacto real da sua contribuição de ¥2.000

- 2 de fevereiro de 2024

A verdadeira razão por trás da nova taxa do Monte Fuji: Segurança ou estratégia? Entre nos bastidores da decisão

A partir deste verão, escaladores que optarem pela trilha mais popular do Monte Fuji, localizada na província de Yamanashi, serão solicitados a contribuir com ¥2.000 (aproximadamente US$ 13) para acessar a montanha. Essa taxa foi introduzida pelo governador Kotaro Nagasaki como uma estratégia para diminuir a superlotação e financiar importantes medidas de segurança. Esta nova política surge em resposta às crescentes preocupações com a segurança dos escaladores, particularmente em relação à prática arriscada conhecida como “escalada à bala”, que envolve subir ao cume para assistir ao nascer do sol sem pausas para descanso durante a noite.

O aumento no número de visitantes ao Monte Fuji, um destino que se estende pelas províncias de Yamanashi e Shizuoka, levou a outros problemas, incluindo acúmulo de lixo e a escolha de vestimentas inadequadas pelos caminhantes. A cobrança será efetuada em um novo portão que será instalado na 5ª estação da Trilha Yoshida, acessível por ônibus e táxi, que marca o início da subida de 3.776 metros dividida em dez etapas distintas.

Os fundos arrecadados com a nova taxa serão alocados para a implementação de medidas preventivas contra a “escalada à bala” e para a construção de um abrigo de emergência, considerando que o Monte Fuji é um vulcão ativo. Este valor é adicional aos ¥1.000 que já são solicitados voluntariamente dos escaladores para a manutenção da montanha, reconhecida como Patrimônio Cultural Mundial da UNESCO desde 2013.

O governo da província de Yamanashi planeja formalizar a proposta de cobrança durante a assembleia municipal deste mês. No último verão, a montanha recebeu um número de visitantes comparável ao de 2019, antes da pandemia de COVID-19, com mais de 60% dos escaladores escolhendo a Trilha Yoshida. Para garantir a segurança, o governo local considerou limitar o número de visitantes e anunciou planos para fechar a trilha entre 16h e 2h durante a temporada de escalada, além de estabelecer um limite diário de 4.000 escaladores.

Essas medidas visam não só melhorar a experiência dos visitantes, mas também preservar a beleza e a segurança do icônico Monte Fuji para as futuras gerações.

Comentários estão fechados.