47 visualizações 3 min 0 Comentário

Festival Japonês Hadaka Matsuri Abre Portas para Mulheres

- 5 de fevereiro de 2024

Hadaka Matsuri: Quando Tradição Encontra a Modernidade Feminina. Contrasta a tradição com a modernidade, destacando o papel das mulheres na evolução de práticas culturais.

Pela primeira vez na história, mulheres no Japão participaram do tradicional festival de nus, Hadaka Matsuri, em Inazawa, com algumas modificações significativas para a inclusão feminina. O evento anual, que ocorre a cada fevereiro, é famoso por atrair milhares de homens vestidos minimalisticamente para celebrar rituais xintoístas que visam expulsar maus espíritos e trazer boa sorte para o ano seguinte. Essa prática secular, que remonta a cerca de 1.250 anos, sempre foi exclusiva para homens, mas, no dia 22 de fevereiro, cerca de 40 mulheres tiveram a oportunidade de participar, oferecendo capim de bambu em um ato ritualístico, embora permanecessem totalmente vestidas e não participassem do clímax do evento.

A iniciativa de incluir mulheres no festival surge em um momento em que organizadores de diversos eventos culturais no Japão enfrentam o desafio do despovoamento rural, que ameaça a continuidade de tradições predominantemente masculinas. A participação feminina no festival de fogo Katsube, em Shiga, quebrando uma tradição de 800 anos, é um exemplo da pressão crescente para tornar esses eventos mais inclusivos.

Apesar desses avanços, algumas práticas tradicionais japonesas ainda mantêm restrições de gênero, como é o caso do sumô, onde mulheres, apesar de poderem competir em níveis amadores, são proibidas de entrar no dohyo, o ringue sagrado, e de participar profissionalmente. Essa exclusão já gerou controvérsias e acusações de sexismo, especialmente em incidentes onde mulheres foram impedidas de prestar socorros médicos urgentes dentro do dohyo, evidenciando a tensão entre tradição e modernidade.

A decisão de permitir a participação feminina no Hadaka Matsuri, embora limitada, é vista por muitos como um passo modesto, porém significativo, rumo à igualdade de gênero em tradições culturais no Japão. Essa mudança reflete uma crescente conscientização sobre a necessidade de adaptar práticas seculares aos valores contemporâneos, garantindo que a rica herança cultural do país permaneça viva e acessível a todos, independentemente do gênero.