137 visualizações 3 min 0 Comentário

Japão relata primeira morte diretamente ligada à vacina COVID-19

- 10 de março de 2023

Um painel do Ministério da Saúde disse na sexta-feira que uma ligação causal entre a morte de novembro de uma mulher de 42 anos e a vacina COVID-19 que a precedeu “não pode ser negada” – o primeiro reconhecimento de tal ligação entre quase 2.000 relatórios até agora de mortes após a vacinação contra COVID-19 no Japão.

A mulher recebeu uma injeção da Pfizer visando a variante omicron em 5 de novembro em um centro de vacinação em massa. Ela se sentiu mal sete minutos depois e sua respiração parou após cerca de 15 minutos. Inicialmente com suspeita de choque anafilático, um médico do centro realizou RCP e tentou administrar uma injeção de adrenalina, mas não conseguiu porque o acesso intravenoso não foi obtido, de acordo com um relatório submetido ao comitê de efeitos colaterais de vacinas do Ministério da Saúde. Conselho de Ciências.

A mulher foi levada para um hospital, mas morreu de insuficiência cardíaca aguda uma hora e 40 minutos depois de receber a vacina COVID-19. Uma tomografia computadorizada pós-morte mostrou que ela havia experimentado edema pulmonar agudo, um acúmulo súbito de líquido nos pulmões, disse o relatório.

A mulher era obesa e tinha pressão alta e diabetes, acrescentou o relatório, observando que nenhuma autópsia foi realizada.

“A partir dos dados obtidos das imagens (TC), não foram encontradas anormalidades que pudessem ter causado a morte além da vacina. Considerando tudo, o nexo causal direto entre a vacinação e a morte não pode ser negado”, disse o relatório.

Um total de 382 milhões de injeções foram administradas no Japão desde o início do lançamento das vacinas COVID-19 em fevereiro de 2021. Em janeiro, 1.963 mortes de pessoas com 12 anos ou mais foram relatadas, incluindo 1.751 (6,3 por milhão) após as vacinas da Pfizer , 211 (2,6 por milhão) após injeções de Moderna e uma (3,7 por milhão) envolvendo uma dose de Takeda-Novavax.

Com exceção do caso da mulher de 42 anos, o ministério diz que não foi estabelecido um nexo de causalidade entre os disparos e as mortes.

Estamos há mais de 20 anos no mercado contratando homens e mulheres até a 3º geração (sansei) com até 65 anos, casais com ou sem filhos para trabalhar e viver no Japão, temos mais de 400 vagas e parceria com +50 empreiteiras em diversas localidades. Auxiliamos na emissão do Visto Japonês, Documentos da Empreiteira, Certificado de Elegibilidade, Passagem e mais. Contate-nos via WhatsApp para mais informações sobre empregos no Japão: (11) 95065-2516 📲🇯🇵✨ ©𝐍𝐨𝐳𝐨𝐦𝐢 𝐓𝐫𝐚𝐯𝐞𝐥.
Comentários estão fechados.