229 visualizações 4 min 0 Comentário

Ministra das Relações Exteriores chega a Israel para conversa

- 4 de novembro de 2023

O Japão evacuou mais 46 pessoas de Israel, incluindo 20 japoneses, com os evacuados chegando a Tóquio na sexta-feira, quando a ministra das Relações Exteriores, Yoko Kamikawa, chegou a Israel para conversações com seus homólogos israelense e palestino.

A visita de Kamikawa ao Oriente Médio ocorre num momento em que Tóquio procura desempenhar um papel para ajudar a acalmar o agravamento do conflito entre Israel e os militantes do Hamas na Faixa de Gaza, ao mesmo tempo que aborda a crise humanitária que se desenrola.

Kamikawa conversou com o ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, durante cerca de 40 minutos, conversas que foram seguidas de um encontro com famílias de reféns feitos por militantes do Hamas que também durou cerca de 40 minutos.

Ela deveria falar com seu homólogo na Autoridade Palestina, Riyad al-Maliki, na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, na sexta-feira.

Enquanto isso, o avião de transporte ASDF KC-767 transportando evacuados chegou ao aeroporto de Haneda, em Tóquio, na noite de sexta-feira. Além dos vinte cidadãos japoneses, o voo também evacuou cidadãos estrangeiros, incluindo quinze sul-coreanos e quatro vietnamitas, segundo o Ministério das Relações Exteriores do Japão.

O voo ocorreu um dia depois de dez cidadão japoneses e seus oito familiares palestinos estarem entre os cerca de 300 portadores de passaportes estrangeiros e outros que fugiram da Faixa de Gaza para o Egito depois que a passagem da fronteira de Rafah foi parcialmente reaberta.

As evacuações aumentaram à medida que Israel intensificou a sua ofensiva contra o Hamas na Faixa de Gaza, bombardeando a área por terra, mar e ar e preparando-se para o que poderia ser uma invasão terrestre total. O bombardeamento segue-se a um ataque transfronteiriço no sul de Israel, em 7 de outubro, perpetrado por homens armados do Hamas, que matou 1.400 pessoas, a maioria civis. Os militantes também fizeram mais de 200 reféns.

Tóquio juntou-se às exigências internacionais para que todos os reféns sejam libertados, ao mesmo tempo que apela a todas as partes envolvidas para que atuem de acordo com o direito internacional e atenuem a crise. O Japão também prometeu 10 milhões de dólares em subsídios de emergência em resposta às graves necessidades humanitárias na Faixa de Gaza.

“A nossa principal prioridade é a melhoria da situação humanitária na Faixa de Gaza”, disse Kamikawa numa conferência de imprensa na terça-feira, salientando que é necessária uma cessação temporária dos combates para permitir as operações de ajuda humanitária.

No mês passado, um avião da ASDF foi enviado para transportar sessenta japoneses, dezoito sul-coreanos e cinco familiares estrangeiros de Israel através da vizinha Jordânia. O primeiro voo da ASDF ocorreu depois que cinquenta e um cidadão japoneses foram evacuados de Israel no mês passado a bordo de um avião de transporte militar sul-coreano para uma base aérea fora de Seul, e mais oito partiram de Tel Aviv para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, através de um voo fretado pelo Japão.

O primeiro-ministro Fumio Kishida disse que o seu governo tomará “todas as medidas possíveis” para garantir a segurança dos cidadãos japoneses e mantém dois aviões de transporte C-2 de prontidão na Jordânia, caso sejam necessários transportes aéreos adicionais.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.