62 visualizações 4 min 0 Comentário

Ministros do comércio do G7 prometem cooperar em controles de exportação de tecnologia

- 5 de abril de 2023

Crédito: Japan Times – 05/04/2023 – Quarta

Os ministros do comércio do Grupo das Sete economias avançadas concordaram na terça-feira em cooperar para impor controles de exportação para tecnologias de ponta em meio a preocupações de que países como a China possam usá-los para fins militares e de vigilância.

“Reafirmamos que os controles de exportação são uma ferramenta política fundamental para enfrentar os desafios colocados pelo desvio de tecnologia crítica para aplicações militares, bem como para outras atividades que ameaçam a segurança global, regional e nacional”, disseram os ministros em um comunicado conjunto após uma reunião on-line.

O G7, formado por Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão e Estados Unidos, mais a União Européia, também destacou a necessidade de usar tais restrições de exportação para lidar com o “mau uso” de tecnologias críticas e emergentes por “maliciosos atores”, sem citar países específicos.

O Japão, que detém a presidência rotativa do G7 este ano, uniu-se aos esforços liderados pelos Estados Unidos para impedir a capacidade da China de desenvolver semicondutores de ponta, que poderiam ser usados ​​para modernização militar e treinamento de inteligência artificial.

“Continuamos a trabalhar com outros estados para fortalecer controles de exportação eficazes e responsáveis, de forma a acompanhar o rápido desenvolvimento tecnológico”, afirmou o comunicado.

A China também enfrentou críticas por seu tratamento opressivo na região de Xinjiang do país à minoria muçulmana uigure, que estaria sob forte vigilância por meio de câmeras com IA e dispositivos de reconhecimento facial.

Os ministros do comércio do G7, por sua vez, expressaram sérias preocupações com o uso da alavancagem econômica para interferir nas escolhas de outros países, dizendo que “se opõem fortemente a qualquer tentativa unilateral de mudar o status quo por meio de coerção econômica”.

Em meio a um impasse entre a Rússia e o Ocidente sobre a invasão da Ucrânia por Moscou, o G7 condenou as tentativas russas de usar a dependência da Europa do petróleo e gás natural russos como arma. O uso de seu poder econômico pela China para buscar concessões também tem sido uma fonte de preocupação entre os países do Indo-Pacífico.

Reconhecendo a importância de construir redes de cadeia de suprimentos resilientes, o grupo também mencionou a importância de colaborar com parceiros não pertencentes ao G7, especialmente países emergentes e em desenvolvimento, como “principais fornecedores, produtores e compradores nas cadeias de suprimentos globais”.

Foto: Japan Times (O ministro do Comércio, Yasutoshi Nishimura, participa de uma reunião online dos ministros do Comércio dos países do Grupo dos Sete realizada na terça-feira. | MINISTÉRIO DA ECONOMIA, COMÉRCIO E INDÚSTRIA / VIA KYODO)

Comentários estão fechados.