Com os residentes estrangeiros em ascensão no Japão, escolas e creches estão sendo convocadas para dar mais atenção às restrições alimentares enfrentadas por pessoas com diferentes origens religiosas.




 

Em Yokkaichi, na província de Mie, um casal de Bangladesh tirou a filha de 5 anos da creche porque não respondeu aos pedidos especiais de almoço.

“À medida que o Japão se torna mais multinacional, as escolhas alimentares se tornam mais diversificadas”, disse Maryam Ryoko Totani, diretora da Associação Islâmica de Crianças e Mulheres em Nagoya, que se converteu ao Islã há 23 anos. “Os estrangeiros não escolherão vir ao Japão, a menos que o país tenha uma compreensão adequada”.

Fonte: KYODO

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.