179 visualizações 3 min 0 Comentário

O Navio da Nippon Yusen foi apreendido pelos Houthi do Iêmen

- 21 de novembro de 2023

O Japão confirmou na segunda-feira que um navio de carga operado pela grande companhia marítima japonesa Nippon Yusen foi apreendido no Mar Vermelho pelo grupo armado Houthi ligado ao Irã, após um relatório inicial dos militares israelenses no domingo.

“Recebemos relatos de que o navio porta-carros Galaxy Leader, registrado nas Bahamas, operado pela Nippon Yusen, foi apreendido ontem por um grupo armado Houthi enquanto viajava para o sul, perto do Iêmen”, disse o secretário-chefe de gabinete, Hirokazu Matsuno, em entrevista coletiva na segunda-feira. “Condenamos veementemente tal atividade.”

Matsuno confirmou que não havia tripulantes japoneses a bordo do navio. O navio operado pela Nippon Yusen, mais conhecido como NYK Line, tinha um total de 25 tripulantes, sendo membros vindos da Bulgária, Ucrânia, Filipinas, México e Romênia.

Relativamente à apreensão, o grupo Houthi foi citado pela Al-Jazeera como tendo dito que tinha capturado o navio em resposta a “atos hediondos contra os nossos irmãos palestinianos em Gaza e na Cisjordânia”. O grupo alertou outros países para ficarem fora da área, dizendo que teriam como alvo todos os navios com relações com Israel.

No entanto, o gabinete do primeiro-ministro israelita afirmou que o navio não era um navio israelita e não tinha tripulação israelita. As Forças de Defesa de Israel disseram que o sequestro foi um “incidente muito grave de consequências globais”.

Os Houthis são um grupo rebelde no Iémen que se acredita ser apoiado pelo Irã. No passado, lançaram ataques contra o sul de Israel e a captura de um navio de carga internacional levanta preocupações sobre o impacto na logística global.

O Japão está atualmente a recolher informações, nomeadamente através do Ministério dos Negócios Estrangeiros e do Ministério dos Transportes, e está a trabalhar para a libertação dos tripulantes detidos em conjunto com os países relacionados.

Matsuno afirmou que o Japão está simultaneamente tentando conversar com Israel, bem como contatar diretamente os Houthis, ao mesmo tempo que apela aos partidos associados da Arábia Saudita, Omã e Irã.

“Tendo em conta as mudanças na situação, o governo continuará a trabalhar com os países relacionados e a tomar as medidas necessárias”, disse a ministra das Relações Exteriores, Yoko Kamikawa. “Como Ministério dos Negócios Estrangeiros, estamos atentos à situação no Médio Oriente com um sentido de urgência.”

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.