132 visualizações 3 min 0 Comentário

Os inspetores da AIEA analisam os frutos do mar de Fukushima

- 19 de outubro de 2023

IWAKI, PROVÍNCIA DE FUKUSHIMA – Inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica coletaram amostras de um mercado de peixes perto da usina nuclear nº 1 de Fukushima na quinta-feira, após a liberação de águas residuais tratadas da instalação destruída em agosto.

A China e a Rússia proibiram as importações japonesas de marisco desde o início da descarga, mas o Japão afirma que é seguro, uma opinião apoiada pela AIEA.

A água de cerca de 540 piscinas olímpicas foi coletada desde que um tsunami causou o colapso de três reatores da usina número 1 de Fukushima, em 2011, em um dos piores desastres nucleares do mundo.

O Japão afirma que a água foi filtrada pela sua tecnologia especial ALPS de substâncias radioativas – exceto trítio – e diluída com água do mar.

O Japão afirma que os testes mostraram que os níveis de trítio estão dentro de limites seguros.

A equipe da AIEA, composta por cientistas da China, Coreia do Sul e Canadá, coletou amostras de peixes, água e sedimentos esta semana para verificar as descobertas do Japão.

Paul McGinnity, membro da missão, disse aos repórteres que o objetivo era “verificar se os laboratórios japoneses estão medindo e analisando adequadamente” os níveis de trítio.

“O trítio é a preocupação porque os níveis de trítio, como você sabe, são relativamente altos porque não é removido pelo processo ALPS”, disse McGinnity.

As amostras serão enviadas de volta aos laboratórios nos países de origem dos membros da equipe para revisão independente, e a AIEA avaliará e publicará esses resultados.

A Rússia seguiu esta semana a China ao proibir as importações japonesas de frutos do mar, embora compre volumes relativamente pequenos.

O Japão, que considerou a proibição da China motivada politicamente, disse que a medida de Moscovo foi um passo “injusto” “sem qualquer base científica”.

A liberação de água visa abrir espaço para começar a remover o combustível radioativo altamente perigoso e os escombros dos reatores destruídos.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.