Início Destaques Japão Repórter japonês é impedido de viajar para o exterior

Repórter japonês é impedido de viajar para o exterior

330
0
O uso arbitrário do governo de contenção também pode afetar os membros de organizações sem fins lucrativos e aqueles que prestam serviços médicos. Foto: Fox News

Um jornalista conhecido por cobrir as zonas de guerra processou o Ministério das Relações Exteriores na quarta-feira (24) depois que ele invalidou seu passaporte e exigiu que ele o entregasse, dizendo que o privou de seu direito de viajar e restringiu a liberdade de imprensa.

Kosuke Tsuneoka foi parado no aeroporto Haneda, em Tóquio, em fevereiro, a caminho do Iêmen, para informar sobre o conflito do país e a crise humanitária. Foi-lhe dito que seu passaporte havia sido invalidado e foi ordenado a entregá-lo imediatamente.

Tsuneoka é um jornalista freelancer que relatou em zonas de conflito no Oriente Médio e na África por cerca de duas décadas, e foi mantido em cativeiro por cinco meses no Afeganistão em 2010.

Ele disse que entrou com o processo por causa de sua preocupação de que o governo possa estar expandindo seu controle sobre os cidadãos. Ele disse que um número crescente de jornalistas foi advertido ou colocado sob pressão e, como resultado, os relatos da mídia japonesa em áreas de conflito diminuíram significativamente, deixando o Japão fora de contato com o resto do mundo.

“Eu decidi ir a um tribunal não por causa do meu interesse pessoal”, disse Tsuneoka a repórteres após apresentar o processo no Tribunal Distrital de Tóquio. “Pelo contrário, eu me preocupo com a direção que o Japão parece estar caminhando, já que parece estar perdendo sua perspectiva sobre questões globais, e eu queria frear isso de alguma forma.”

O Ministério das Relações Exteriores rotineiramente lembra a mídia japonesa para evitar entrar em zonas de conflito. Jornalistas que foram feitos reféns ou se envolveram em problemas enfrentaram críticas como causadores de problemas que merecem punição.

Yasuhiko Tajima, professor de mídia e direito da Universidade de Sophia, disse que o caso de Tsuneoka envolve uma ameaça aos direitos básicos e à democracia. “O caso afeta a fundação da liberdade de expressão e de imprensa, bem como o direito de saber”, disse Tajima.

Ele disse que o uso arbitrário do governo de contenção também pode afetar os membros de organizações sem fins lucrativos e aqueles que prestam serviços médicos. “Isso é algo de grande preocupação”.

Em janeiro, antes do surgimento do problema do passaporte em 2 de fevereiro, Tsuneoka foi impedido de entrar em Omã, onde planejava transitar para uma viagem planejada para o Iêmen. Apesar de ter obtido um visto eletrônico, ele foi forçado a retornar a Tóquio e remarcou sua viagem via Sudão, disse ele.

Tsuneoka disse que o Ministério das Relações Exteriores deveria tê-lo avisado anteriormente se eles sabiam de seus planos.

Fonte: AP

https://www.japantimes.co.jp/news/2019/04/25/national/war-reporter-kosuke-tsuneoka-sues-japan-government-right-travel-surrendering-passport/#.XMHJkehKjIU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here