Chizuo Matsumoto, conhecido como Shoko Asahara, líder da seita Aum Shinrikyo foi executado no ano passado na Casa de Detenção de Tóquio. Shoko Asahara liderou o atentado no metrô de Tóquio em 1995, lançando gás mortal.Alguns dias que antecederam a execução, Asahara pediu para a sua quarta filha tomar posse de suas cinzas. Sua filha cortou relações com a seita e a família, não resgatou as cinzas, pois pretende descarta-la, não quer que os restos mortais simbolizem uma meca aos discípulos de Asahara.Membros da família pedem para que as cinzas sejam entregues a sua esposa, que mantem laços com Aleph, um grupo sucessor de Aum Shinrikyo. Sua filha solicitou à Casa de Detenção de Tóquio que mantenha guardado os restos mortais em segurança do Estado. Além das cinzas de Asahara, na Casa de Detenção são mantidas as roupas religiosas kurta, livros e o capacete que Matsumoto usou durante sua prisão em maio de 1995.
A Casa de Detenção de Tóquio aguarda a resolução do Tribunal de Tóquio para solucionar o imbróglio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.