179 visualizações 6 min 0 Comentário

Aumento de novos casos de COVID-19 no Japão mostra poucos sinais de diminuição

- 18 de julho de 2023

Crédito: Japan Times – 18/07/2023 – Terça

Os casos de COVID-19 no Japão continuam aumentando recentemente e afetando principalmente os idosos, com especialistas prevendo que a tendência continuará em meio ao calor intenso, declínio da imunidade da população e o início da temporada de festas.

As estatísticas do Ministério da Saúde divulgadas na sexta-feira mostraram que a nona onda de infecções por coronavírus no Japão continua, com o número médio de novos casos relatados por cerca de 5.000 instituições médicas designadas na semana até 9 de julho, ficando em 9,14, ante 7,24 na semana anterior.

O Japão tem visto um aumento contínuo, embora gradual, nos casos de COVID-19 por oito semanas consecutivas desde 8 de maio, quando rebaixou a doença para um status semelhante à gripe sazonal e descartou uma série de medidas especiais de COVID-19, incluindo o diário contagem de casos.

O número de novas internações por COVID-19 também está aumentando, chegando a 6.096 na semana até 9 de julho, ante 5.494 na semana anterior e 4.484 quatro semanas antes.

Os casos foram vistos aumentando em 45 das 47 províncias do país, mas os aumentos se destacam no oeste do Japão. Okinawa continua a receber de longe o maior número de pacientes por instituição, em 41,67, embora esteja ligeiramente abaixo dos 48,39 da semana anterior. A região de Kyushu teve grandes aumentos, particularmente nas prefeituras de Kagoshima (17,18), Miyazaki (16), Saga (15,33) e Kumamoto (11,99).

Shigeru Omi, o principal consultor de coronavírus do país, disse que outros lugares no Japão podem ter um aumento nas próximas semanas.

“Okinawa tem seus próprios fatores únicos (que levaram ao atual pico de infecções)”, disse Omi a um programa de notícias da NHK no domingo. “Tem uma comunidade muito unida e a taxa de vacinação lá é um pouco menor (do que no resto do país). Mas esses fatores sozinhos não podem explicar os picos recentes.

“A tendência pode se espalhar para o norte a partir de Okinawa e Kyushu.”

Omi também disse que a tendência provavelmente continuará um pouco mais, citando a normalização das atividades sociais e comerciais desde 8 de maio e o aumento da quantidade de tempo que as pessoas passam em espaços internos menos ventilados por causa do calor implacável do lado de fora. Ele também mencionou o fato de que a imunidade de muitas pessoas está diminuindo, com o passar do tempo desde a infecção ou vacinação anterior, bem como a prevalência de variantes que escapam da imunidade.

O ministro da Saúde, Katsunobu Kato, pediu cautela na terça-feira entre pessoas com maior risco de desenvolver sintomas graves, principalmente idosos e pessoas com condições subjacentes. Ele pediu que as pessoas usassem máscaras ao visitar hospitais e lares de idosos.

Enquanto isso, uma pesquisa realizada no mês passado e divulgada na semana passada por um painel de especialistas em comunicação de risco que assessora o Governo Metropolitano de Tóquio descobriu que 3 em cada 10 residentes estrangeiros em Tóquio sentem que sofreram preconceito e discriminação relacionados ao COVID-19 por causa de sua nacionalidade.

A pesquisa abrangeu 2.000 pessoas entre 20 e 70 anos de mais de 15 países. A proporção de nacionalidades pesquisadas correspondia ao tamanho da população estrangeira da capital.

Os resultados mostraram que, dos 30,5% que responderam ter sofrido preconceito e discriminação, 50,7% disseram que foram “culpados pela disseminação de infecções por COVID”.

A pesquisa, que também perguntou sobre as medidas tomadas contra o COVID-19, constatou que cerca de 70% dos entrevistados disseram que planejam continuar com medidas antivírus básicas, como uso de máscara e lavagem frequente das mãos, enquanto 65% disseram que ventilariam os quartos e 55% evitariam os “três Cs” (espaços fechados, lugares lotados e ambientes de contato próximo).

A pesquisa concluiu que os residentes estrangeiros podem encontrar problemas com os cuidados de saúde no Japão em geral, não apenas em relação ao COVID-19, e pediu às autoridades que incorporem suas perspectivas ao implementar medidas sobre doenças infecciosas e outros problemas de saúde pública.

Foto: Japan Times (Uma rua em Tóquio na segunda-feira. O número de novas internações hospitalares por COVID-19 está aumentando, chegando a 6.096 na semana até 9 de julho – acima dos 5.494 da semana anterior. | AFP-JIJI)

Comentários estão fechados.