529 visualizações 2 min 0 Comentário

Japão interrompe plano para implantar sistema de defesa antimísseis

- 15 de junho de 2020

O Ministério da Defesa está suspendendo seu plano de implantar o sistema de defesa antimísseis terrestre Aegis Ashore no Japão, disse o ministro da Defesa Taro Kono na segunda-feira, citando custos e problemas técnicos.

A medida ocorre um mês depois que o governo desistiu de implantar o sistema de defesa antimísseis de ponta em um complexo das Forças de Autodefesa na cidade de Akita, após forte oposição de moradores locais. Kono informou o plano mais recente ao primeiro-ministro Shinzo Abe na sexta-feira passada, disse ele.

Em janeiro de 2019, os EUA concordaram em vender dois sistemas de defesa antimísseis Aegis Ashore e outros equipamentos militares para o Japão a um custo estimado de 2,15 bilhões de dólares (cerca de 231 bilhões de ienes).

O Ministério da Defesa planejava instalar dois sistemas Aegis Ashore na província de Akita, no leste do Japão, e na província de Yamaguchi, no oeste do Japão, algum tempo após o ano fiscal que começará em abril de 2025, para que todo o Japão fosse coberto pelos sistemas de defesa antimísseis.

Depois de desistir do plano de instalá-lo em Akita, o governo também enfrentou oposição dentro e ao redor do local planejado de Aegis Ashore, no distrito de Abu de Hagi, Yamaguchi. O Gabinete decidiu instalar dois sistemas Aegis Ashore em 2017.

A instalação dos sistemas Aegis Ashore havia sido apontada como uma maneira de aliviar o custo da Força de Autodefesa Marítima, que enviou destróieres equipados com Aegis e suas tripulações em missões marítimas de longo prazo.

Observadores disseram que a implantação do sistema ajudaria a administração do primeiro-ministro Shinzo Abe a alcançar dois objetivos – dar a Tóquio a capacidade de rastrear e interceptar mísseis norte-coreanos e amenizar a insatisfação da Casa Branca pelo papel limitado do Japão na segurança regional.

Portal Mundo-Nipo
Sucursal Japão Osaka
Harumi Matsunaga