135 visualizações 3 min 0 Comentário

Príncipe Mohammed bi Salman reunirá os maiores players do setor

- 25 de outubro de 2023

Na principal conferência de investimento da Arábia Saudita, em outubro de 2018, o Príncipe Mohammed bin Salman subiu ao palco para prometer que uma nova era estava a nascer para o Médio Oriente.

“A nova Europa é o Oriente Médio”, disse o governante de fato do país, vulgarmente conhecido como MBS, sob aplausos da multidão. “Os próximos 30 anos será o renascimento do Oriente Médio.”

Cinco anos depois, o cenário na Europa e no Oriente Médio é de conflito.

Enquanto a Europa enfrenta os impactos da invasão da Ucrânia pela Rússia, a guerra entre Israel e o Hamas expõem as fissuras políticas da região. Isto é um complicativo aos esforços do Príncipe Mohammed para concentrar a vizinhança no desenvolvimento econômico, em vez de em antigas rixas.

“As manchetes são um desenvolvimento indesejável para o reino, dado o seu foco em atrair investidores estrangeiros e convencer as empresas a expandirem as suas operações na Arábia Saudita”, disse Ayham Kamel, chefe da equipe de investigação do Grupo Eurásia para o Oriente Médio e Norte de África”.

Mohammed também resolveu disputas com o Qatar e a Turquia e pressionava por uma resolução para a guerra no Iêmen. Ele até normalizou as relações com o arquirrival Irã em março, num acordo facilitado pelo presidente chinês Xi Jinping.

No evento a ser promovido pelo príncipe Mohamed, houveram apenas uns 20 cancelamentos resultantes à guerra, disse Richard Attias, CEO do FII Institute, entre mais de 6.000 pessoas que planejavam comparecer. Os convidados que irão chegar a Riade até terça-feira são os titãs das finanças globais – muitos dos quais são rostos familiares nos salões de baile dourados da sala de conferências do Ritz Carlton, que acolhe o encontro saudita.

O presidente e CEO da BlackRock Inc, Larry Fink, aparecerá ao lado de Ray Dalio, da Bridgewater Associates, do CEO do JPMorgan, Jamie Dimon, e da CEO do Citigroup, Jane Fraser, enquanto outras sessões incluirão os chefes da TotalEnergies, da Petrobras e do presidente da FIFA, Gianni Infantino.

Também serão destacados no evento alguns dos projetos mais ambiciosos da Mohammed, incluindo a construção de uma nova cidade no deserto chamada Neom, que deverá custar mais de 500 milhões de dólares, e planos para transformar trechos da costa do Mar Vermelho em resorts de ecoturismo.

Ainda não está claro como os fluxos de investimento e as viagens turísticas para o reino são impactados pela perspectiva da guerra Israel-Hamas, mas a ameaça de um conflito mais amplo poderá retardar as ambições do Príncipe Mohammed.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.